3 de fevereiro de 2010

A Gravata

Gravata Objecto - seda plastificada - 2010
Projecto: Pensar com Tom Zé - Exposição na Casa Pedro Álvares Cabral/ Casa do Brasil
Abril de 2010

A GRAVATA
Tom Zé
Composição: (Tom Zé)


A gravata já me laçou
a gravata já me enforcou
amém
A gravata já me laçou
a gravata já me enforcou
amem

Um cidadão sem a gravata
é a pior degradação
é uma coroa de lata
é um grande palavrão
é uma dama sem pudor
estripitise moral
é falta de documento
é como sopa sem sal

Tem a gravata borboleta
com o bico inclinado
tem a gravata caubói
com o rabinho duplicado

Tem a gravata de laço
que desce do colarinho
molenga como uma tripa
que se deita na barriga

Ela é a forca portátil
mais fácil de manejar
moderna, bem colorida,
para a vítima se alegrar
é um processo freudiano
para a autopunição
com o laço no pescoço
e a fé no coração.

3 comentários:

Anónimo disse...

Bonita peça.
tenho gravatas qur me fazem lembrar acontecimentos especiais.
A do meu casamento . Dia que recordo com emoção. Parece-me uma boa ideia esta de tornar uma gravata num objecto.
Quero uma.
Moises.

maria disse...

???

Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.